Notícias da Cidade
Linha 582 Goiânia a Bela Vista sofre alterações em seu trajeto.

A linha 582 (T. da Bíblia/Bela Vista de Goiás) terá alterações em seu trajeto a partir deste sábado, dia 03. Confira as mudanças:

No município de Goiânia, no sentido Terminal Praça da Bíblia – Bela Vista a linha deixará de passar na BR-153 (entre a Avenida Anhanguera e o estádio Serra Dourada), passando agora por dentro do Setor Leste Universitário, pelas ruas 256, 261, 11ª, 5ª e 6ª Avenida, Avenida C até a Rua 32, onde volta ao itinerário normal neste trecho.

Outra alteração no município de Goiânia fica próximo ao viaduto do Centro Cultural Oscar Niemeyer, onde a linha passará pelas ruas 73 e 69, no Jardim Goiás, até a Avenida Jamel Cecílio, seguindo daí o itinerário normal.

No sentido Bela Vista – Terminal Praça da Bíblia, após a via de acesso ao Paço Municipal, a linha passará pelos seguintes locais: avenidas Olinda e Fued José Sebba; Rua 2, Avenida C, 6ª, 5ª e 11ª Avenida, Rua 261, Praça da Bíblia e Terminal Praça da Bíblia, conforme mapa abaixo:

Ainda no município de Bela Vista, a linha principal fará o trajeto circular no sentido horário. Com isso, serão criados três novos pontos de embarque e desembarque localizados na Avenida Joaquim Bueno Teles entre a Avenida Gilson A. Souza e Rua Camilo de Brito.

Lembrando que a última viagem desta linha em dia útil era às 21h, saindo do Terminal Praça da Bíblia. Com a alteração, passa a ser às 23h. Aos sábados e domingos permanece às 21:30h e 21h respectivamente.

Veja no mapa:

 

Foi criada também uma sublinha para atender o Setor Maria Nadir, no município de Bela Vista. Assim, cinco pontos de embarque e desembarque irão atender o setor, sendo dois no sentido terminal – bairro, e três no sentido contrário, ambos na Rua Inácio Pinheiro.

O Setor Parque Las Vegas, localizado no mesmo município, antes atendido com quatro viagens por dia (em dias úteis), será contemplado agora com 14 viagens (também em dias úteis), sendo que três delas irão ao Setor Maria Nadir.

Já aos finais de semana, o setor contará com dez viagens aos sábados e nove aos domingos, sendo que em ambos os dias, três destas viagens irão também ao Maria Nadir. Com isso, serão criados três novos pontos de embarque e desembarque localizados na Avenida Joaquim Bueno Teles entre a Avenida Gilson A. Souza e Rua Camilo de Brito.

A sublinha fará o trajeto anti-horário conforme o mapa abaixo, deixando de passar nas ruas 21 de Abril e 4 (entre as ruas 21 de Abril e 13), no Parque Las Vegas, passando pelas ruas Piracanjuba, JA-3, 13 e 4, seguindo o itinerário normal e atendendo assim, o Jardim Alphaville.

Com a alteração dois pontos de embarque e desembarque da Rua 4 próximos as ruas 21 de Abril  e 9 serão desatendidos, e quatro novos serão criados, sendo dois na Rua Piracanjuba, um na Rua JA-3 e outro na Rua 13.

A linha que atende Roselândia fará o sentido horário no município de Bela Vista, mas não sofrerá alteração dentro do distrito.

Fonte: RMTC

 
ELEIÇÕES 2014 - VOTOS DE BELA VISTA DE GOIÁS!

Segue um breve demonstrativo dos votos computados no colégio eleitoral de Bela Vista de Goiás.


Clique na imagem para Ampliar.

Entre os votos para Deputado Estadual, destacamos o candidato da cidade, Juliano Moreira.
O mesmo teve 2.610 votos de eleitores belavistenses.

Fonte: UOL
http://placar.eleicoes.uol.com.br/2014/1turno/go/apuracao-no-estado/#/92657-GO

 
EXPOAGRO 2014 - BELA VISTA DE GOIÁS!

Confira alguns momentos da EXPOAGRO 2014.

Fotos e Vídeos - Reprodução Facebook.
Jovair Rocha - Gilson Miranda - Toninho 5 de Junho.

 
Improbidade: secretariado municipal de Bela Vista é acionado

 

O promotor de Justiça Carlos Vinícius Alves Ribeiro propôs ação civil pública (clique aqui) contra os secretários municipais de Bela Vista de Goiás Vanderlan Celso e Silva, Vagner Cunha, Antônio Miguel de Oliveira Jorge, Rodrigo Teixeira, Celso Afonso Lemes, David Machado e Luiz Ricardo Martins pela prática de ato de improbidade administrativa.
O MP requereu liminarmente o afastamento dos gestores de seus cargos e, ao final do processo, a perda da função pública e demais sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa.

 

A substituição

Na ação, o promotor relata que Eurípedes José do Carmo, prefeito da cidade, é, há algum tempo, rompido com a vice-prefeita, Nárcia Kelly. Recentemente, ele pediu estrategicamente férias de 30 dias, logo após o período de desincompatibilização para a disputa de cargos legislativos. Tal medida se deveu ao fato de a vice-prefeita pretender lançar sua candidatura para deputada, ainda que sem o apoio de Eurípedes.

A manobra, segundo o promotor, deixou Nárcia em um impasse pois, com o afastamento do prefeito, ela teria apenas duas opções: ou não assumiria o Executivo durante o afastamento do gestor municipal, podendo ser aberto contra ela um processo de cassação, ou assumiria, abrindo mão de sua pretensão política.

Ao assumir o cargo, ela exonerou os sete secretários relacionados na ação e alguns outros servidores, enquanto estivesse no poder. Para o promotor, o que se seguiu foi de uma irresponsabilidade passível de resposta jurídica.

 

A exoneração coordenada

Vários secretários, diretores de entidades e comissionados, em número superior a 60 pessoas, pediram a exoneração de seus cargos, deixando a administração pública municipal ingovernável.

Carlos Vinícius acrescenta que o que se ouvia na cidade era que os exonerados pela prefeita em exercício intimidaram os demais afirmando que eles seriam demitidos e ficariam sem trabalho pelos próximos dois anos caso não pedissem a exoneração provisória e continuassem em suas funções enquanto Nárcia estivesse à frente da prefeitura.

“A cidade ficou instável, a administração parou e a população ficou em pânico”, afirma o promotor. Ele ressalta ainda que, menos de três dias depois de seu afastamento, o prefeito arrebentou as portas da prefeitura, quebrou bens públicos, desacatou pessoas e retornou aos cargos os secretários.

 

A improbidade

O promotor sustenta que os acionados agiram apenas para atender interesse pessoal, abusando de seus cargos, infringindo ainda normas e direitos fundamentais. Neste caso, houve a improbidade administrativa, uma vez que eles agrediram os princípios básicos do regime jurídico administrativo, violando os deveres de eficiência, moralidade, legalidade, honestidade, imparcialidade e lealdade. Além disso, negaram à população o mínimo atendimento às necessidades, especialmente na área da saúde, que teve muitos servidores exonerados por intimidação dos acionados, além de outros órgãos da administração que ficaram sem dirigentes.

 

Os pedidos

O MP requereu liminarmente o afastamento cautelar dos acionados dos cargos que ocupam na prefeitura de Bela Vista, até o trânsito em julgado da ação. No mérito, requer a perda de função pública que estiverem exercendo quando da sentença ou cassação do benefício da aposentadoria, a suspensão de seus direitos políticos, a proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, e o pagamento de multa civil de até 100 vezes o valor da remuneração recebida pelo agente, conforme prevê a Lei de Improbidade Administrativa.

Fonte: DM.com.br

 
Prefeito de Bela Vista e construtora são acionados por improbidade.

 

O promotor de Justiça Carlos Vinícius Alves Ribeiro propôs ação civil pública contra o prefeito de Bela Vista de Goiás, Eurípedes José do Carmo, e a empresa Charles Costa Carvalho ME pela prática de improbidade administrativa, em decorrência de irregularidades no procedimento licitatório para construção de um centro esportivo no Setor Ulisses Guimarães.

De acordo com a ação (clique aqui), em 13 de fevereiro de 2012, foi noticiada, no site da prefeitura, a cerimônia de lançamento da pedra fundamental e assinatura da ordem de serviço do prefeito para a construção do centro esportivo. Foi encaminhada à promotoria, entretanto, cópia do aviso de abertura do processo licitatório para a obra, assinado em 7 de março daquele ano, ou seja, 24 dias depois da cerimônia de assinatura da referida ordem.

Em razão dos fortes indícios de fraude na licitação, o promotor instaurou inquérito civil para apurar os fatos, apurando também a veracidade das notícias sobre a má execução dos serviços de construção da obra licitada. De posse de documentos, cópias de editais, tomada de preços, tabelas de pagamentos, o promotor constatou as irregularidades, motivo pelo qual requer a declaração da improbidade do negócio firmado entre as partes, condenando os envolvidos, de acordo com as penalidades previstas na Lei de Improbidade Administrativa.

(Cristiani Honório /Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – Foto: Google Maps).

Fonte: mpgo.mp.br

 
«InícioAnterior1234567PróximoFim»

Página 2 de 7
© Copyright 2011/2014 - Portal de Bela Vista.com.br - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido e Mantido por: Dan El Pierre Rezende.